Max Weber

Universidade: Unicamp
Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Disciplina: Teoria do Estado I
Ano: 1o semestre 2008
Professor: Bruno Wilhelm Speck
Prova

questão:
Quais são as principais características da racionalização burocrática e como ela se aplica aos partidos políticos?

Apesar do conceito técnico-administrativo burocracia ter existido nas formas de organização ao longo do desenvolvimento da humanidade, é exceção histórica desenvolvida no Estado Moderno e consolidada nos tempos atuais; uma vez que quanto mais complexa a sociedade, maior a necessidade de ordem inerente a ela e da crescente de pacificação absoluta; a que apresenta diversas especificações, mas sendo a predominante e articuladora de todas as outras, o alto grau de racionalidade, a essência da ação administrativa. A dominação racional legítima característica desse sistema baseia-se no caráter impessoal da autoridade hierárquica ligado a leis aceitas pela sociedade, atuando, portanto a forma de coação indireta. O conceito de Weber tem base no direito e é recipiente do verdadeiro poder, sendo este exercido nos trâmites da administração, cada vez mais centralizadora e controladora de maior número de funções relacionadas à organização estatal.
Dentre as principais características internas que a estruturam pode-se listar:

1- O princípio da autoridade hierárquica de cargo; a qual cria o ‘carreirismo’ no serviço público. Um funcionário burocrático não é eleito, mas sim nomeado por uma autoridade superior. Há a mesma estrutura dentro dos partidos, uma vez que eles alocam seus integrantes de acordo com o serviço prestado a ele e não de acordo com sua adequação ao cargo;

2- Competência; o princípio do cargo como profissão, sendo esse vitalício, o qual exige pré-requisitos para o emprego e este é visto como uma troca de lealdades, da parte do funcionário, uma engrenagem, é um dever e da parte da burocracia, o mecanismo, dar a ele condições materiais de uma existência segura;

3- Remuneração de acordo não com o trabalho realizado, mas sim com a posição na hierarquia;

4- Impessoalidade; O que se dá o inverso nos partidos políticos, uma vez que a base deles são as figuras carismáticas;

5- Separação entre propriedade e administração. Concentração dos meios materiais;

6- Disciplina; máxima eficiência e superioridade técnica combinadas com máxima disciplina. Cálculo e velocidade;

Para a fixação da burocracia um aspecto importante de seu desenvolvimento é a democracia. Inicialmente importante em sua transição, a democracia age por dois lados; tanto nivela os poderes que ficam à frente da burocracia quanto nivela os governados, fazendo com que a dominação seja proeminente. Complementa garantindo o acesso universal aos cargos do funcionalismo público e diminuindo a área de atuação autoritária política, como por exemplo, reduzindo o tempo de mandato. Para Weber o grande problema da burocracia é sua atuação tender para a ditadura às escondidas, graças a existência de segredos oficiais do Estado há muito que se encobre no andamento da administração, a democracia atua no sentido, portanto de ir contra essa tendência de parlamento versus burocracia.
A democracia legitima todo o processo burocrático, dá o respaldo político, o consentimento dos governados, para a dominação ser legalizada e duradoura. Dentre o funcionamento da suposta igualdade regida pelo sufrágio universal, que termina nele mesmo, os partidos políticos mostram-se como instrumentos adaptados de dominação de diferentes classes de interesses em busca do poder político, e mesmo que eles deixassem de existir, ainda haveria agremiações desses interesses, o que revela o caráter da democracia como apenas uma tática cômoda.
Os partidos buscam a obtenção de cargos, estratégia para maior concentração do poder político, distribuição esta que ocorre nos bastidores. Sua organização é voluntária e baseia-se na necessidade do recrutamento de massas, o que impede sua regulamentação pelo Estado, tem seu financiamento realizado por interesses particulares que almejam cargos ou favores políticos, e os membros comuns não têm direito a voto que dê rumo a diretrizes. Sendo o objetivo principal do partido a angariação de votos do complexo mercado eleitoral, a luta entre eles é dificilmente controlada, para regozijo da burocracia, e somente regulamentada através de leis que pouco interferem.
Quanto aos embates partidários no Brasil, pode-se perceber que são uma luta de egos, mais de líderes carismáticos do que de um programa partidário definido, sendo os grupos partidários nada mais do que bases para tanto, procrastinando portanto os problemas sociais do país indefinidamente.
Apesar de sua aparente democracia interna os militantes giram em torno da figura de um líder carismático, aquele que atende melhor às necessidades da máquina partidária e tem a aclamação das massas. Há uma evolução em direção a uma rigidez disciplinar em seus quadros e uma concentração de decisões nos altos escalões. A burocrática forma de direção interna esconde-se por trás do centralismo democrático, princípio leninista que propõe a máxima discussão interna no partido e votações como meio de decisão, devendo então a minoria subordinar-se a maioria, método eficaz e necessário a sua época, mas que tende atualmente para o centralismo burocrático, uma vez que em seu interior desenvolve-se a burocracia do mesmo tipo que na economia e na administração pública.

por R

Uma resposta para Max Weber

  1. Ótimo texto , mas as palvras estão com uma colocação muito difusa com a linguagem popular .

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s